0

Dica de tumblr: Ah, branco, dá um tempo!

A possibilidade de sensibilizar e provocar o lado crítico de observadores é uma das grandes utilidades da fotografia. A exemplo disso, temos as fotografias de Lewis Hine denunciando o trabalho infantil nos Estados Unidos no começo do século XX, ou as fotografias de Dana Popa sobre mulheres vítimas de tráfico sexual.

Recentemente, a internet possibilitou à minorias um espaço para se expressar através de sites, blogs e redes sociais. É o caso do ensaio ah, branco, dá um tempo!, inspirado na campanha I too am Harvad (vale a pena conferir, também, o who needs feminism). O objetivo do tumblr ah, branco, dá um tempo! é provocar nos expectadores um questionamento sobre como nossas práticas e falas podem ser racistas. O ensaio consiste em fotografias de estudantes negros da Universidade de Brasília segurando quadros com falas que eles costumam ouvir com frequência dentro da universidade, como “não sou racista, tenho amigos negros”.

Segundo o tumblr:

Apesar de que na visão de quem pratica a ação seja “só uma brincadeira”, “uma observação”, “uma tentativa de ajudar”; Para quem sofre cotidianamente é como repisar uma ferida ainda não cicatrizada.

Para mais fotos e informações, acesse o tumblr ah, branco, dá um tempo!.
1 Continuar lendo

0

Art Kane

Art Kane, nascido em Nova York, foi um fotógrafo de moda e música ativo da década de 1950 até o início de 1990. Ele criou muitos retratos de músicos contemporâneos, incluindo Bob Dylan, Sonny e Cher, Aretha Franklin, Frank Zappa, Jim Morrison, Janis Joplin, Rolling Stones e The Who. Kane também trabalhou como fotógrafo para campanhas publicitárias, além de ter contribuído para publicações como Esquire e Vogue e ter sido o mais jovem diretor da revista Seventeen.

The Who

The Who

Continuar lendo

0

F.C. Gundlach

F.C. Gundlach é creditado como o mais importante fotógrafo de moda da Alemanha. Durante as décadas seguintes à Segunda Guerra Mudial, Gundlach trabalhou para grandes publicações de moda e ajudou a definir o visual da cultura pop de seu país nos anos sessenta, setenta e oitenta.

Atualmente, F. C. Gundlach é diretor da Casa de Fotografia de Hamburgo. Seu trabalho é exibido em galerias por toda Europa desde 1951, incluindo cidades da Alemanha, Paris e Holanda.
F.C. Gundlach 5 Continuar lendo

0

Links da semana

 Links da semana
Fotografias por Théo Gosselin – uma ótima dica pra quem gosta do estilo boho.

Índia por Naomi Wood – fotos simples e lindas

A história por trás das fotos do álbum Women and Children First do Van Halen

Cuba por Michael Petit

O colorido das casas húngaras no período pós-comunismo

Já ouviu falar da Transnístria? Conheça esse e outros países não reconhecidos aqui.

Afropunk por Awol Erizku

Cachorros modelando para o Mr. Porter (you better work!)

0

A carta que Patti Smith escreveu para Robert Mapplethorpe

Nos dias que precederam a morte do fotógrafo Robert Mapplethorpe, Patti Smith escreveu à ele a seguinte carta:

Querido Robert,

Frequentemente fico acordada imaginando se você também está acordado. Você sente dor ou se sente sozinho? Você me tirou do período mais escuro da minha jovem vida, compartilhando comigo o sagrado mistério do que é ser um artista. Eu aprendi a ver através de você e nunca compus uma linha ou desenhei uma curva que não tenha vindo do conhecimento derivado do precioso tempo que passamos juntos. Seu trabalho, vindo de uma fonte fluida, pode ser rastreado à canção nua de sua juventude. Você então me falou de segurar nas mãos de Deus. Lembre-se, em tudo, você sempre segurou aquela mão, segure-a firme, Robert, e não solte ela jamais.

A outra tarde, quando você adormeceu no meu ombro, eu adormeci também. Mas antes disso, ocorreu-me contemplar todas as suas coisas e seu trabalho e passando por anos de trabalho na minha mente, de todo o seu trabalho, você ainda é o seu trabalho mais bonito. A obra mais bela de todas.

0

Fotos raras de Frida Kahlo mostram a artista na infância e adolescência

Graças ao seu talento como pintora, Frida Kahlo se destacou como uma das artistas mais importantes do século XX. No entanto, além de pintora, Frida possuía habilidade para escrever, como provam as cartas que ela escreveu para Diego Rivera. Como se não bastasse, a artista mexicana e ícone feminista, era engajada politicamente (Frida era comunista) e grande apreciadora da arte da fotografia (como não amar?).

O gosto pela fotografia não era à toa. O pai de Frida, Guillermo Kahlo, era fotógrafo profissional, bem como seu avô materno. Por causa disso, há inúmeros registros da vida de Frida Kahlo, de sua infância à fase adulta. Muitas dessas fotografias foram tiradas pelo pai de Frida. São fotos raras que revelam momentos íntimos de uma das artistas mais complexas e talentosas dos últimos tempos.

Frida em 1909, aos 2 anos

Frida em 1909, aos 2 anos

Continuar lendo