0

O arquivo de fotografias das tatuagens de criminosos russos

De 1989 a 1993, fotógrafo russo Sergei Vasiliev fotografou centenas de detentos em prisões e penitenciárias em várias localidades russas (Chelyabinsk, Nizhny Tagil, Perm e São Petersburgo). Esses prisioneiros usavam tatuagens como uma forma de comunicação, em que cada desenho possuía um significado específico insinuando seu passado criminal. As tatuagens, encontradas sobre todo o corpo dos indivíduos fotografados, muitas vezes utilizando símbolos religiosos, eram uma forma de revelar dentro da prisão a vida criminosa de cada um deles, e deixar que os outros prisioneiros soubessem com quem eles estavam lidando. (via Fuel Design)

Este preso foi condenado por crimes relacionados com a droga. "Gott mit uns ':' Deus conosco 'foi um grito de guerra, tanto do império russo e do Terceiro Reich. A Cruz de Ferro nazista expressa "Eu não me importo com ninguém '. Este símbolo de agressão e insubordinação é muitas vezes tatuada no peito como se pendurado em uma corrente. O arame farpado na testa indica que o portador 'nunca vai ser corrigido ".

Este preso foi condenado por crimes relacionados com drogas. “Gott mit uns”: ‘Deus conosco’ foi um grito de guerra do império russo e do Terceiro Reich. A Cruz de Ferro nazista expressa “Eu não me importo com ninguém”. Este símbolo é muitas vezes tatuado no peito como se estivesse pendurado em uma corrente. O arame farpado na testa indica que o portador “nunca vai ser corrigido “.

Continuar lendo

3

Tatuagens para quem ama fotografia

Como o post sobre tatuagens para quem curte fotografia é um dos mais vistos deste blog, resolvi fazer uma “parte II” com várias ideias para quem está pensando fazer alguma tatuagem relacionada ao tema.

Exemplos do que não fazer, também:

Fontes: Tattoos for sinners, Photography, Radiate Love, Capekalaska, Electronic circles, SweetB, Let’s all just turn into pure light e Good Tattoos.